Poupe no consumo da luz. Na PortuLoGOs Energia estamos empenhados na eficiência energética.

A iluminação representa mais de 10% do nosso consumo total de energia. Por isso, uma utilização responsável da luz e a colocação em prática de pequenos truques reduzirá essa quantidade.

Eis algumas dicas para o ajudar a reduzir esta quantia na sua fatura da eletricidade com medidas muito simples.

Poupe no consumo da luz

Os gastos em iluminação representam parte do nosso consumo total de energia, e numa altura em que a eletricidade está a tornar-se tão cara, alguns gestos simples podem fazer a diferença na redução da sua fatura da eletricidade.

Eis algumas dicas para o ajudar a reduzir esta quantia na sua fatura da eletricidade com medidas muito simples.

Aposte na iluminação LED para reduzir os seus custos de eletricidade

Atualmente, existem muitos tipos de lâmpadas no mercado, mas a iluminação LED posicionou-se como a opção mais eficiente em termos de consumo de energia, bem como a mais duradoura.

A duração de vida das lâmpadas LED é medida em horas de funcionamento. Por exemplo, assumindo que uma lâmpada é utilizada 3 horas por dia durante todo o ano, uma lâmpada incandescente de 60W gera um custo anual de 12 euros, enquanto que uma lâmpada LED de 8,6W classe A+ gera um custo de 2 euros no mesmo período de tempo.

Outra vantagem é que praticamente não libertam calor e a sua elevada eficiência energética torna-os ideais para cada divisão da casa.

Uma lâmpada para cada quarto

Existem hoje muitos tipos diferentes de iluminação no mercado. Por exemplo, iluminar um quarto não é o mesmo que iluminar uma sala de estar ou um escritório.

Ter em conta a potência necessária para a sala em questão e o tipo de atmosfera que se pretende criar. Não esquecer que uma má escolha pode levar a um desperdício de energia e a uma fatura mais elevada.

A luminosidade é determinada por lúmenes, não por watts. Por outras palavras, escolher uma lâmpada com mais potência do que outra não lhe dará mais luz, mas sim mais consumo. Para lugares onde precisamos de bom brilho precisaremos de cerca de 500 lúmens/m2, enquanto noutros lugares 300 lúmens/m2 serão suficientes.

A fonte de luz mais barata é o sol

Tirar o máximo partido da luz solar sempre que possível. Algo tão óbvio, mas muitas vezes esquecido, é aproveitar ao máximo a luz solar sempre que possível.

Se tiver quartos com janelas viradas a sul, sudoeste e leste, é uma boa ideia utilizálos durante a maioria das horas do dia, por exemplo como sala de estar ou escritório.

No entanto, os quartos virados a norte, nordeste e nordeste recebem menos horas de luz solar, pelo que é melhor utilizá-los como quartos de dormir.

Se não estiver numa sala, apague a luz

Tal como no ponto anterior, parece muito simples e é algo que tem sido repetido vezes sem conta, ainda assim continuamos a deixar várias vezes as luzes acesas quando não estamos a utiliza-las.

Se parar e pensar bem no assunto, aperceber-se-á de que isto acontece em muito mais ocasiões do que pensamos. Especialmente se tivermos filhos, é fácil para eles deixarem as luzes acesas descuidadamente mais do que uma vez.

Para evitar este gasto desnecessário, uma boa ideia em certos tipos de salas como armazéns ou corredores, é instalar detetores de presença que acendam as luzes apenas quando precisamos delas ou temporizadores que apaguem as luzes após um certo tempo.

Na PortuLoGOs Energia estamos empenhados na eficiência energética, e um passo para a alcançar nas nossas casas e no nosso trabalho é evitar o desperdício desnecessário de luz.

Os nossos produtos